O que afeta os olhos 4 min. leitura

Como os nossos olhos são afetados pela COVID-19

Partilhar

O novo coronavírus pode entrar através do nariz, boca e até dos olhos. A conjuntivite pode também ser um sintoma da Covid-19.

Retardar a disseminação do novo coronavírus está provado ser um esforço global. De norte a sul, de este a oeste, as pessoas estão a fazer o seu papel para manter a devida distância social, higiene respiratória e técnicas de lavagem das mãos.

A inalação do vírus é o método mais comum de contágio, mas sabia que o coronavírus pode também ser contraído através dos olhos? Todos os dias aprendemos um pouco mais sobre esta doença e o que podemos fazer para nos mantermos, e mantermos outros, em segurança.

O que é o coronavírus?

O coronavírus é um vírus de uma família de sete tipos de vírus conhecidos. O novo coronavírus causa uma doença respiratória, conhecida como Covid-19. A SARS e a MERS, que causaram também os seus próprios surtos, foram também formas do coronavírus.

Os sintomas do coronavírus podem variar entre leve a grave. O novo coronavírus pode imitar uma constipação comum, mas noutros casos pode tornar-se fatal e exigir hospitalização. Pode também existir sem nenhum sintoma – ainda assim ser contagioso – tornando o distanciamento social ainda mais importante.

Casos graves da doença são mais frequentes em pacientes acima dos 65 anos e naqueles que têm um sistema imunitário fragilizado ou certas condições de saúde subjacentes. Apesar de menos comum, a hospitalização pode ser necessária a pacientes de qualquer idade, por isso é importante manter-se sempre cauteloso.

A Covid-19 pode causar sintomas oculares?

Embora incomum, a conjuntivite parece ser um dos possíveis sintomas da Covid-19. A conjuntivite pode causar irritação, vermelhidão e comichão nos olhos, feridas e escamação com crostas na pele em redor dos olhos.

Dos quase 56.000 casos confirmados na China, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reporta a conjuntivite como um sintoma presente em 0,8% dos pacientes com Covid-19. No entanto, a conjuntivite pode também ocorrer juntamente com condições mais comuns como constipações ou gripe, por isso é importante não assumir o coronavírus como culpado.

O coronavírus pode ser contraído através dos olhos?

Embora não seja um método comum de infeção, acredita-se que o coronavírus pode entrar através dos olhos. Isto pode acontecer de duas maneiras. Gotas líquidas presentes no ar podem transferir o vírus através dos olhos. Estas partículas respiratórias são expelidas forçosamente quando uma pessoa infetada tosse ou espirra.

Isto acontece mais frequentemente quando duas pessoas estão a uma distância de 1 metro ou menos, de acordo com a OMS. A utilização de óculos de óptica ou de sol pode criar uma barreira contra a entrada do vírus vindo de um angulo direto, afirmam alguns oftalmologistas. A forma mais comum de propagação do vírus é através da inspiração dessas gotículas pelo nariz ou boca.

O vírus pode também entrar nos olhos através do contacto físico, geralmente através das mãos. Tocar num objeto contaminado pode transferir o vírus para as suas mãos, que é de seguida transferido para os seus olhos, nariz e boca após tocar na sua cara. Isto destaca a importância de lavar vigorosamente as mãos e mantê-las longe da sua cara.

O que posso fazer para me proteger do coronavírus?

A OMS estabeleceu precauções específicas que a população deve adotar para evitar contrair e propagar o novo coronavírus. Em resumo, estas precauções incluem:

Pratique o distanciamento social: mantenha a distância de pelo menos 1 metro da pessoa mais próxima, especialmente se essa pessoa estiver a tossir ou a espirrar. Isto reduz a probabilidade de inalação de gotas respiratórias que possam conter o coronavírus.

Lave as suas mãos com frequência: lave frequentemente e abundantemente com sabão e água ou, se não for possível, com um gel desinfetante. Ambos os métodos matam efetivamente os germes que possam estar nas mãos.

Evite tocar na sua cara: tocar na sua cara com as mãos contaminadas pode transferir o vírus para o seu corpo, e potencialmente causar uma infeção. Isto pode ocorrer através dos olhos, nariz ou boca.

Faça uma higiene respiratória adequada: se tiver de tossir ou espirrar, faça-o para a curva do seu cotovelo ou para um lenço limpo. Se possível, incentive outras pessoas a fazer o mesmo. Descarte imediatamente todos os lenços usados no lixo. Tossir ou espirrar para um lenço ou para o seu cotovelo vai ajuda-lo a proteger as pessoas que o rodeiam e contra gotículas respiratórias presentes no ar.

Utilize apenas uma máscara em cenários específicos: enquanto está saudável, as máscaras só precisam de ser utilizadas se estiver em contacto com uma pessoa doente. Se estiver a tossir ou a espirrar, é recomendada a utilização de máscara. Se utilizar uma máscara, garanta que a limpeza das mãos é mantida.

As regras sobre o uso de máscaras faciais variam de acordo com o país. Por exemplo, várias notícias reportam que países europeus como a República Checa, Eslováquia, Áustria e Bulgária impuseram ou recomendaram o uso de máscara. Por outro lado, os líderes de países como a Alemanha, França e Bélgica têm sido cautelosos, seguindo diretrizes mais restritas.

Recentemente, os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA recomendaram que os cidadãos americanos usassem máscaras de pano quando expostas ao público, como quando vão ao supermercado. O coordenador da equipa da Casa Branca, focada no coronavírus, afirmou no entanto, que as máscaras faciais não protegem os olhos.

Visite WHO.int para mais informações sobre o uso de máscaras faciais.

 

 

Pode interessar!

O que afeta os olhos 4 min. leitura

Como limitar o tempo passado em frente aos ecrãs?

Definir (e manter) limites no tempo que passa em frente aos ecrãs e adotar atividades sem contacto com os mesmos pode ajudá-lo a reduzir a sua exposição à luz azul-violeta nociva presente nos equipamentos digitais. Adquirir uns óculos com proteção para computador pode ajudar a reduzir o impacto do tempo excessivo em frente a ecrãs nos seus olhos.